apresentaçãoa cerâmicaréplicas
Escola Cerâmica
réplicas
| |
História da peça

Anfiteatro do Parque da Devesa

O Parque da Devesa é apenas o início daquilo que somos

É a nossa utopia. É a utopia que nos alimenta e desassossega, impelindo-nos a dar presente ao futuro: construir uma cidade, cúmplice com a sua história e amiga do património cultural e do ambiente, abraçada por um corredor verde a envolvê-la, consolidando o eixo norte/sul, vindo do Palácio da Justiça até à Devesa, depois de libertarmos o Parque de Sinçães dos seus fantasmas e constrangimentos, para seguir o leito regenerado do rio Pelhe até Ribainho. Com ele convergirá o eixo este/sul, partindo do Parque do Vinhal, para se expandir pelos parques 1º de Maio e da Juventude, libertando da lei da morte o ribeiro que desce de Brufe e se esconde por debaixo.
Porém, este é apenas o primeiro elo da estrutura ecológica de sustentação da cidade verde, que os urbanistas há várias décadas desenharam, e está inscrita na carta dos direitos da cidadania contemporânea. Uma cidade saudável necessita de um outro anel verde, que a alimente e a proteja. O Parque da Devesa, e em particular a sua área florestal, é uma parte desse todo. Este é o tempo de exigirmos um corredor/anel arbóreo e paisagístico, mais largo e amplo, que se estenda em volta de toda a cidade: protegendo e preservando os montes que se estendem de Cruz (S. Tiago), expandem-se pela mata de Pindela, prolongam-se por Brufe, Vinhal, Reguladora, Facho / Santa Catarina e penetram no castro de S. Miguel-o-Anjo, para fechar na Devesa e se projetarem em S. Martinho. A defesa e valorização deste anel verde são essenciais para a qualidade do ar que respiramos, como na manutenção do equilíbrio ecológico do território e da beleza da cidade que habitamos e que queremos legar aos nossos vindouros.
Afinal, o parque é o início daquilo que queremos ser!
(Artur Sá da Costa, DO REGUENGO DE D. SANCHO AO PARAÍSO VERDE DA DEVESA. In Parque da Devesa :V.N. de Famalicão, 2012, pp. 85-89).

Peça: Réplica/Anfiteatro do Parque da Devesa
Autor: Fundação Castro Alves
Artesã: Natália Castro
Comprimento: 27 cm
Largura: 19 cm
Altura: 8 cm
Reprodução: peças numeradas 1/30
 
 
 
« voltar
Copyright © 2017 | Fundação Castro Alves - Vila Nova de Famalicão. Todos os direitos reservados. | handmade by: brainhouse